O Sétimo Guardião: novela que substituirá Segundo Sol traz polêmica sobre direito autoral

A previsão é que a nova novela das 21 horas comece no dia 12 de novembro, segunda-feira.

A nova novela das 21 horas na Globo, ‘O Sétimo Guardião’, nem estreou e já está envolta de muita polêmica. Quem não está satisfeito com os rumos que Segundo Sol vem tomando, torce para que chegue logo o dia 12 de novembro, quando estreia a nova trama no horário nobre, só que até lá, muita coisa ainda poderá acontecer.

A polêmica toda é porque um ex-aluno de Aguinaldo Silva, que é o autor da nova novela, entrou na Justiça alegando que quer seu nome apareça nos créditos, dando a ele o título de coautor. Silvio Cerceau diz ter todas as provas necessárias para confirmar sua coautoria e ele ainda alega que se sua solicitação não for atendida, a estreia de ‘O Sétimo Guardião’ poderá nem acontecer.

A novela pode nem estrear porque Silvio Cerceau alega ser coautor da trama e entrou com uma liminar na Justiça para que ‘O Sétimo Guardião’ traga seu nome nos créditos, do primeiro ao último capítulo.

Enquanto isso, Aguinaldo Silva continua afirmando que a novela é só dele. Quando teve a entrevista para que o autor da nova trama global fizesse a apresentação da novela, Aguinaldo explicou que, na verdade, ele que abriu um processo contra seu ex-aluno e que Silvio Cerceau teria ‘rompido o contrato de confidencialidade’.

Justiça poderá barrar nova novela da Globo

O Sétimo Guardião traz grandes nomes em seu elenco, entre eles: Marina Ruy Barbosa e Bruno Gagliasso, que serão os protagonistas da trama. A Globo trabalha com seu calendário tendo a data do dia 12 de novembro como a estreia, porém, a novela corre o risco de não estrear neste dia.

Silvio Cerceau participou da oficina de roteiristas, tendo Aguinaldo Silva como instrutor e isso foi no ano de 2015. Agora, ele entrou na Justiça e não quer que a trama seja exibida, se baseando na lei dos Direitos Autorais.

Ele explicou que fez questão de entrar com uma liminar para que a Justiça não deixe a Globo exibir a trama, sem que seu direito seja respeitado. E Silvio não quer seu nome apenas nos créditos que serão exibidos no dia da estreia, ele quer todos os dias, enquanto a trama estiver na grade da emissora. Ele avisou que irá entrar com todos os recursos possíveis para ‘fazer justiça’.

No ano passado, quando a Globo aprovou essa nova novela, que então foi apresentada por Aguinaldo Silva, Cerceau chegou a ser procurado pela assessoria do autor global e disse que ele e os demais ex-alunos do curso seriam ressarcidos da taxa que pagaram no ato da inscrição, recebendo os juros e correções, mas para isso eles deveriam assinar um contrato onde estariam cedendo gratuitamente os direitos. Na ocasião, Silvio não assinou o contrato, pois se mostrou totalmente contra a proposta oferecida.

Fonte: blastingnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *